domingo, 6 de outubro de 2013

Cartografia


 

 

 

Tarefa Cartografia

Questão 1

Diferencie Cartografia enquanto linguagem, alternativa metodológica e conteúdo.

(3 pontos)

Atenção:

·       1 ponto para explicação referente à linguagem

·       1 ponto para explicação referente a alternativa metodológica

·       1 ponto para explicação referente a conteúdo.

 

 

R: A cartografia enquanto linguagem da geografia refere-se a um sistema código de comunicação capaz de ler e escrever as características do território em estudo, obtendo por meio dele a representação e localização de fenômenos da superfície terrestre, além de outras análises passíveis de compreensão por meio das sínteses espaciais concretizadas no mapa. Já a cartografia como alternativa metodológica define-se como prática no ensino/aprendizagem em que permeia todos os conteúdos do campo disciplinar geográfico, possibilitando a identificação e localização de fenômenos e objetos, bem como suas relações intrínsecas e a compreensão dos conflitos inerentes ao próprio processo de ocupação do espaço. Sendo assim, pode-se dizer que a cartografia como linguagem visualiza o fenômeno geográfico e a cartografia como alternativa metodológica estuda o fenômeno descrito pela linguagem, mas, além disso, agrega os objetos ao redor e o espaço que se faz presente. E a cartografia como conteúdo, é a bagagem teórica que se faz necessária para entender os fenômenos no qual se objetiva estudar, pois o processo de apreensão do espaço por meio da imagem demanda um conjunto de conhecimentos específicos, os quais possuem convenções particulares, que precisam ser conhecidas para permitir a leitura e interpretação do espaço.

Questão 2

Especifique o caráter estratégico dos conteúdos em Geografia. (1 ponto)

R: O caráter estratégico dos conteúdos em Geografia baseia-se na conjugação de funções à Cartografia Escolar, onde esta processa-se num conjunto de linguagem (imagem), alternativa metodológica (caracterização e relação do fenômeno, objeto e espaço) e conteúdo (conceitos), onde juntos contemplam uma abordagem para o trabalho com mapas, possibilitando a decodificação de mensagens, articulação e contextualização de informações. Assim, para o alcance de tais objetivos, utiliza-se algumas ferramentas, entre as quais se destaca as geotecnologias, onde o uso de recursos digitais enquanto objetos de aprendizagem apresenta o potencial de desenvolver o raciocínio espacial e as habilidades de pensamento. Vale ressaltar ainda que no contexto de recursos digitais inserem-se as novas tecnologias e nessas, as técnicas de Geoprocessamento. Outras práticas são as imagens de satélite e as fotografias aéreas, respectivamente, Sensoriamento Remoto e Fotogrametria, se constituem instrumentos importantes ao professor, com significativo potencial de uso, para o alcance daquela perspectiva estratégica de compreensão do mundo.

Questão 3

Explique a importância dos processos de mediação na prática pedagógica em Geografia em geral e na Cartografia Escolar, em particular.

 (1 ponto)

 

 

R: O processo de mediação pedagógica é de suma importância, pois é através dele que é possível a construção da relação entre todos os indivíduos presentes na sala de aula (professores e alunos). Nesse processo o contexto de aprendizagem faz interferências a todo instante, pois estabelece induções e deduções sobre o que está sendo tratado. Nesse sentido, as considerações feitas a partir do vivenciado, do conhecido, do visto, do ouvido, do lido, expressam a mediação na qual será construída a aprendizagem, ou seja, serão essas considerações que construirão os argumentos que visam teorizar e, posteriormente, aplicar. Ao professor, então, compete uma condução desse processo, também orientado à discussão, notadamente no que se refere à busca de aplicabilidade prática de suas proposições. E isso se traduz pelo diálogo que fomente a reflexão e que esteja vinculado à realidade de cada localidade. É essa associação permanente com a realidade imediata, vivida pelos sujeitos da aprendizagem, que propicia a possibilidade de significação aos conteúdos abordados teoricamente e aí, provavelmente, replicação à prática, analogias, generalizações, deduções. Interessante ressaltar a dimensão de valorização do aluno, de seu saber, do coletivo escolar, da comunidade, da cultura local que se estabelece nesse contexto dialógico de aprendizagem. O Professor estabelece os conteúdos a serem analisados e os articula com os saberes do local, para efetivar o processo de construção do conhecimento. Ressalva-se também que não só o diálogo entre os indivíduos  na sala permite essa mediação, mas também os recursos digitais constituem-se elementos de mediação pedagógica e, como tal, podem ser utilizados em vários momentos de uma aula, seja para intermediar a abordagem de algum conteúdo, seja na introdução do tema, na sua referenciação para fins de comparação, diferenciação e generalização e, ainda, na sua própria sistematização, transposição à realidade vivida e aplicação. Seu uso, então, se traduz em fonte de investigação e análise não somente de uma dada temática, mas também da visão de mundo do aluno, em cujo processo de mediação se agrega o capital cultural.